<body> Dom Casmurro <body>
BLOG
ASK

Dom Casmurro


Status
Visitantes on line:
No total de: visitantes
Você já veio aqui : vezes!
1/09/2011, 12:46pm | Reblog

Making of :)



1/09/2011, 12:39pm | Reblog

Making of :)



1/09/2011, 12:27pm | Reblog

Making of :)



1/09/2011, 12:23pm | Reblog

3ª e última parte do julgamento

A sessão é retomada com Dª Núbia, que declara que não criava seu filho, mas sim o deixava em escolas, casas alheias, etc. enquanto trabalhava no bordéu.

A seguir entra a ré, Captolina.

Capitu declara que se arrepende de ter proposto a Bentinho que escolhesse entre ela e Dª Glória, tendo conciência de que amor de mãe é incondicional. Declara ainda que se arrepende de ter falado mal de Dª Gloria. Diz ser uma pessoa econômica, que aprendeu a economizar seu dinheiro após a morte de sua mãe, quando teve que ser a administradora das economias da casa. Diz que colocou seu filho no internato porque tinha esperança de que Bentinho com isso voltasse, mas não voltou. Fala ainda das cartas que trocava com Bentinho depois da separação, que suas cartas eram amorosas e cordiais, enquanto as dele eram frias e sem sentimentos.

Após réplica e tréplica a ré é liberada.

Sessão em recesso.

Convidado a depor, senhor Bento Santiago.

A promotoria inicia o interrogatório. Bento declara que um dos piores momentos de sua vida foi a traição de Capitu com seu melhor amigo Escobar. Declara possivelmente ser estéril.

Diz ainda que considera Capitu falsa e dissimulada, e percebia o olhar sedutor de Capitu para com Escobar. Diz que nunca traiu Capitu, e que jamais olhou para outra mulher como para Capitu. Fala de sua ânsia por se matar ou matar Ezequiel, por ser supostamente filho de Capitu com Escobar. Demonstra sua opinião diante do fato de Capitu não enviar a ele fotos de Ezequiel. Alega que acha que Capitu não lhe enviava fotos para que não visse a semelhança entre Ezequiel e Escobar. Diante do interrogatório da defesa, Bento gagueja, mostra-se nervoso e tenta enrolar, tendo como apoio os protestos seguidos da promotoria.

O tribunal entra em recesso.

Retomada a sessão com a defesa.

Diante às perguntas da defesa, Bento cala-se, recusa-se a responder algumas perguntas e enrola, pedindo várias vezes para que a advogada repetisse e reformulasse a mesma pergunta.

Após réplica e tréplica, a testemunha é liberada.

O tribunal entra em recesso para que o júri faça a votação.

Após a conclusão da promotoria e da defesa, e a votação do júri,

a juíza anuncia o Resultado: Capitu é considerada CULPADA.



31/08/2011, 2:18pm | Reblog

Bruno como Bentinho, Cecília como Capitu, Daniela como Dª Núbia, Flavia como Sancha, Renato como o Cavaleiro, Carolina como a Empregada, Jonathan como José Dias, Eric como Escobar e Caroline como Dª Glória.



31/08/2011, 1:58pm | Reblog

O Juri formado por alunos do 1º ano, Francisco como o Escrivão, Nataly como a Juíza e César como o Meirinho.



31/08/2011, 1:52pm | Reblog
Bruno Soares como Bentinho e Cecília Ferreira como Capitu.

Bruno Soares como Bentinho e Cecília Ferreira como Capitu.



31/08/2011, 1:51pm | Reblog

Meninas da defesa e da promotoria :)



31/08/2011, 1:42pm | Reblog

2ª Parte do julgamento

O julgamento é retomado com José Dias dando seu depoimento.

A defesa o acusa de envenenar o relacionamento de Capitu com Bentinho, sendo protestada pela promotoria.

A defesa argumenta que José Dias se contradiz em seu depoimento, declarando nos autos que mudou sua opinião sobre Capitu e depois, diante do tribunal, declara nunca mudar de opinião em relação a ela. José Dias se enrola com os argumentos da defesa, sendo acusado de dissimulado pela defesa, e apelando para seguidos protestos, muitas vezes negados, da promotoria.

A Defesa questiona José Dias sobre seu ato de charlatanismo para com a família de Bentinho, mentindo ser médico para fazer parte da família. Se Ele foi charlatão naquele momento, por que não dissimularia em outros?

José Dias se confunde mais uma vez e enrola pedindo várias vezes para que a advogada repetisse e reformulasse as perguntas.

A juíza suspende a sessão por alguns minutos.

Na retomada, a promotoria tenta questionar com José Dias, mas acaba por fazer declarações ao invés disso e a juíza libera-o.

A defesa convoca Maria, empregada da casa de Bento Santiago.

Maria declara que trabalha na casa desde que Bento se casou com Capitu. Fala de Capitu como uma mulher meiga e carinhosa, e que Bento era ciumento, pedindo sempre que Capitu usasse roupas cobertas quando saíam.

Após argumentos da promotoria e da defesa, a testemunha é liberada.

A promotoria convoca Dante, o cavaleiro, que passava pela casa de mata cavalos e conversava com Capitu. A descreve como sedutora quando a sós com ele e fria e amedrontada quando na frente de Bento.

A defesa argumenta com o Cavaleiro, fazendo-o confessar ser atraído por duas mulheres: sua noiva e Capitu.

A promotoria questiona o Cavaleiro e pede que o mesmo descreva os olhos de Capitu.

Após sua descrição, o cavaleiro é liberado e a defesa convoca Sancha para o tribunal.

Sancha declara que era muito amiga de Capitu, e que confiava nela da mesma maneira que confiava em seu marido Escobar. Diz que Bento a olhava de maneira diferente, e que por ela sempre o admirá-lo, revidava o olhar porém sem malícia.

A testemunha é liberada e entra Dª Núbia, a prostituta.

A testemunha declara que Bento foi a seu cabaré em busca de aventuras, e encontrou Dª Núbia, com a qual manteve relações durante algum tempo. Declara que se apaixonou por Bento, planejando inclusive ter um filho na intenção de enriquecer casando-se com um burguês.

Diante do argumento da defesa, a testemunha declara que Bento era uma pessoa aberta e confessava coisas de sua vida a ela, inclusive falava sobre Capitu e seu relacionamento com ela. A defesa argumenta, alegando que se Bento era considerado por todos como casmurro por ser fechado, frio e calado, como poderia ele ser uma pessoa aberta somente para Dª Núbia? Seria Bento então o dissimulado na história??

Sessão encerrada.



30/08/2011, 7:28am | Reblog

1ª Parte do julgamento

O julgamento começa com a parte de acusação, que convoca Dª Glória, mãe de Bentinho, como sua 1ª testemunha.

A testemunha alega ser uma mulher muito religiosa, e que criou seu filho Bentinho tendo como base os princípios cristãos. Declara que jamais desconfiou do amor entre seu filho e Capitu, pois eram amigos desde a infância, mas percebia em Capitu esperteza e habilidade para sair-se de situações de perigo, usando a dissimulação.

Declara ser muito próxima a Bentinho, e que apenas mandou seu filho para o seminário para cumprir uma promessa que fizera, e para que seguisse de vez os princípios cristãos, mas que nunca quis ficar longe de seu filho. Mesmo assim, decepcionou-se ao saber que Bentinho havia abandonado o seminário por causa de Capitu.

 Diante do depoimento de Dª Glória, a acusação afirma que Capitu é dissimulada e falsa, pois na frente de todos, mostrava-se delicada e inocente, e pelas costas falava mal de Dª Gloria e incentivava Bentinho a sair do seminário.

A defesa protesta argumentando que Dª Glória não conhecia Bentinho o suficiente, pois se o conhecesse saberia do amor que ele tinha por Capitu, e entenderia os motivos por Capitu ter pedido a Bentinho para sair do seminário, assim colocando uma outra pessoa em seu lougar para pagar a promessa.

 Após o depoimento de Dª Glória, a defesa convoca Escobar para dar seu depoimento.

 Escobar declara ser melhor amigo de Bentinho e admirador e amigo de Capitu. Declara acha-la uma mulher decente e devota a Bentinho, e que Bentinho era seu amigo, mas era possessivo e ciumento com Capitu.

Fala de Sancha, sua esposa, ser uma mulher maravilhosa e ótima mãe e esposa.

A promotoria acusa Escobar de ser um homem galanteador, e de ter traído sua esposa com uma bailarina.

Diante da acusação, Escobar defende-se, declarando ser um homem vaidoso e do qual muitas mulheres se aproximavam, e que isso gerava muitos boatos de línguas ferinas.

 A promotoria convoca José Dias para dar seu depoimento.

 José Dias declara ser uma pessoa muito grata a Dª Glória, e muito dedicada a Bentinho.

Afirma ser militarista, e preocupado com seu futuro, seu dinheiro.

Diz que acha Capitu dissimulada, com olhos oblíquos que disfarçam seus reais interesses.

A defesa entra e argumenta com José Dias sobre suas declarações contraditórias e sobre o fato de tentar separar Bentinho de Capitu enviando bentinho ao seminário, declarando que seria o melhor para Dª Glória. A defesa argumenta ainda sobre seu preconceito com pessoas de classe mais baixa.